Ômega 3 e Inflamação em indivíduos mais velhos

Por Muriel Hamilton Depin

 

A ativação crônica da resposta inflamatória é o principal substrato fisiopatológico para a resistência anabólica, sarcopenia e fragilidade em indivíduos mais velhos. Os mecanismos da redução da síntese de mediadores pró-inflamatórios através da ingestão de nutrientes já foram elucidados – principalmente em relação aos ácidos graxos poli-insaturados ômega 3.

Um artigo de 2016 revisou as evidências atuais vindas de estudos observacionais e de intervenção, realizados em indivíduos idosos, residentes em comunidade ou hospitalizados com doença aguda, e avaliando os efeitos da ingestão de ômega 3 em marcadores inflamatórios como as interleucinas 1 e 6 IL-1), fator de necrose tumoral α (TNF-α) e a Proteína C Reativa (CRP).

Após a análise, concluiu-se que há evidência suficiente para afirmar que há um efeito anti-inflamatório no envelhecimento apenas com o consumo adequado de ômega 3.

Sendo assim, é importante garantir o aporte adequado deste nutriente, incluindo na alimentação as fontes deste, como os peixes de água fria (salmão, arenque, atum e sardinha), nozes e as sementes de chia e de linhaça.

DHA-is-the-critical-omega-3

REFERÊNCIA:

TICINESI, A. et al. Nutrition and Inflammation in Older Individuals: Focus on Vitamin D, n-3 Polyunsaturated Fatty Acids and Whey Proteins. Nutrients., v, 29, n. 8, pp.186, mar. 2016.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s