Ômega 3 e Inflamação em indivíduos mais velhos

Por Muriel Hamilton Depin

 

A ativação crônica da resposta inflamatória é o principal substrato fisiopatológico para a resistência anabólica, sarcopenia e fragilidade em indivíduos mais velhos. Os mecanismos da redução da síntese de mediadores pró-inflamatórios através da ingestão de nutrientes já foram elucidados – principalmente em relação aos ácidos graxos poli-insaturados ômega 3.

Um artigo de 2016 revisou as evidências atuais vindas de estudos observacionais e de intervenção, realizados em indivíduos idosos, residentes em comunidade ou hospitalizados com doença aguda, e avaliando os efeitos da ingestão de ômega 3 em marcadores inflamatórios como as interleucinas 1 e 6 IL-1), fator de necrose tumoral α (TNF-α) e a Proteína C Reativa (CRP).

Após a análise, concluiu-se que há evidência suficiente para afirmar que há um efeito anti-inflamatório no envelhecimento apenas com o consumo adequado de ômega 3.

Sendo assim, é importante garantir o aporte adequado deste nutriente, incluindo na alimentação as fontes deste, como os peixes de água fria (salmão, arenque, atum e sardinha), nozes e as sementes de chia e de linhaça.

DHA-is-the-critical-omega-3

REFERÊNCIA:

TICINESI, A. et al. Nutrition and Inflammation in Older Individuals: Focus on Vitamin D, n-3 Polyunsaturated Fatty Acids and Whey Proteins. Nutrients., v, 29, n. 8, pp.186, mar. 2016.

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s