Alimentos e Fotoproteção: Alimentos que protegem a pele contra a exposição aos raios solares e seus danos

 

Por Muriel Hamilton Depin, Luisa Bittencourt e Juliana Vieira

A pele é o maior órgão do corpo humano e permanece em contato direto com o meio externo, se tornando, assim, vulnerável à ação dos raios solares.A exposição solar excessiva leva a alterações na pele induzidas pelos raios ultravioletas (UV). Essas mudanças caracterizam o fotoenvelhecimento, composto por alterações superficiais (como rugas, flacidez e alterações pigmentares), bem como, por muitas alterações internas na estrutura e função da epiderme, membrana basal e derme.Além disso, a radiação UV pode levar à inflamação, ao estresse oxidativo e danos ao DNA, podendo originar doenças ou desordens de pele.3

Os danos à pele induzidos por raios UV são cumulativos e levam ao envelhecimento precoce da pele. No entanto, cuidados diários podem atenuar o fotoenvelhecimento, inibindo processos causadores de danos e aumentando processos de reparo.O principal cuidado está no uso do protetor solar, mas também é possível fortalecer o cuidado de maneira endógena. Isso pode ser feito por meio da oferta de componentes (como nutrientes e polifenóis encontrados em alimentos) que atuam na proteção contra os raios solares e seus efeitos subsequentes.1

CAROTENOIDES

Dentre os nutrientes com ação fotoprotetora, destacam-se os carotenoides, que são pigmentos responsáveis pela coloração amarela, laranja e vermelho de frutas, hortaliças, gema do ovo e de alguns peixes¹. Esses micronutrientes têm atividades antioxidantes, atuando na estabilização de radicais livres gerados devido à radiação UV, e evitam o estresse oxidativo.4,Além disso, são importantes precursores para a vitamina A (retinol) e em nível celular, influenciam na expressão gênica ao modular propriedades da pele, aumentando a defesa basal contra danos, e, portanto, reforçando a integridade cutânea contra queimaduras solares. 4,5

A luteína e a zeaxantina são carotenoides que possuem funções antioxidantes. Como não são produzidos pelo corpo humano, devem ser consumidos por meio da dieta. Esses carotenoides são encontrados em alimentos de cor verde escuro, como espinafre, couve e agrião. Possuem papel importante na saúde dos olhos, pois compõe um pedaço amarelo da retina (a mácula), que pode ser danificada com exposição ao sol. Dessa maneira, esses pigmentos são responsáveis por diminuir a incidência solar para a retina e reduzir a degeneração macular.

Em um estudo feito com a população italiana, foi constatada uma diminuição do risco de câncer de pele em pessoas que haviam ingerido alta quantidade de luteína e zeaxantina.7 Porém, os carotenoides não são os únicos micronutrientes que atuam na proteção da pele contra os raios solares, outros componentes como tocoferóis, polifenóis, ascorbato também contribuem no desempenho.4

Vegetables

POLIFENÓIS

Os polifenóis compõe o maior grupo dentre os compostos bioativos nos vegetais, distribuídos em alimentos vegetais, incluindo frutas, verduras, nozes, sementes, flores e cascas. Devido à sua elevada capacidade antioxidante, suas ações fisiológicas já foram ligadas à prevenção de diversas doenças, como as cardiovasculares, neurodegenerativas e câncer.8,3

Os principais polifenóis relacionados com um efeito fotoprotetor são o licopeno, resveratrol (presente na uva e vinho), catequina (chá verde), genisteína (soja), proantocianidinas (semente de uva), e, os diversos polifenóis encontrados no cacau.

sommelier-sp-vinho

Estudos laboratoriais realizados em modelos animais sugerem que os polifenóis provenientes de plantas (como o resveratrol, catequina, genisteína, e proantocianidinas) têm capacidade de proteger a pele dos efeitos adversos da radiação UV, incluindo o risco de câncer de pele. Sugere-se que estes possam complementar a proteção dos protetores solares, e, ser úteis para doenças de pele associadas à inflamação induzida pela radiação UV solar, estresse oxidativo e danos ao DNA.3

O polifenol licopeno pode ser encontrado em alimentos como tomate, mamão, goiaba e melancia. Sua ação foi avaliada em um estudo randomizado controlado que verificou se a pasta de tomate (rica no polifenol licopeno) pode proteger a pele humana contra os efeitos induzidos pela radiação UV (que são mediados pelo estresse oxidativo, ou seja, eritema, alterações na matriz e dano do DNA mitocondrial). Nele, 20 mulheres saudáveis ingeriram 55 gramas de pasta de tomate (16mg de licopeno) durante 12 semanas. Avaliou-se a sensibilidade eritêmica à radiação UV, pré e pós-suplementação; e, através de biópsia, a pele foi analisada imuno-histoquimicamente, pré e pós exposição de radiação, avaliando marcadores para alterações na matriz e DNA mitocondrial. A conclusão da pesquisa foi que o licopeno proporciona proteção contra aspectos, agudos, e, potencialmente, a longo prazo, dos danos causados pelas exposição solar.9

beneficio_alimento_rojo_licopeno

O cacau, cujo significado é “alimento dos deuses” possui muitos benefícios, além de ser o principal ingrediente do chocolate e ser uma grande fonte de antioxidantes polifenólicos, também pode auxiliar na fotoproteção contra raios UV e melhorar a qualidade da pele.10

Um estudo feito na Alemanha avaliou a fotoproteção e as condições da pele de dois grupos de mulheres que consumiram cacau em pó dissolvido em água. Um grupo consumiu 326mg de cacau por dia e outro 27mg por dia. A catequina e a epicatequina, foram os principais polifenóis encontrados na água com maior quantidade de cacau, obtidas com 20mg e 61mg respectivamente. Já a água com menor quantidade de cacau possuía 1,6 de catequina e 6,6mg de epicatequina. Na sequência, as mulheres foram expostas a um simulador solar. Como resultado, a indução de raios UV foi menor em 15 a 25% em mulheres que tinham ingerido maior quantidade de cacau no período de 6 a 12 semanas de tratamento. Além disso, a maior quantidade de cacau levou a um aumento da corrente sanguínea nos tecidos cutâneo e subcutâneo e um aumento da densidade e hidratação da pele. Os resultados desse estudo mostraram que os flavonóis presentes no cacau podem contribuir para a fotoproteção, aumentar a circulação sanguínea da derme e afetar a textura e hidratação da pele.11 

Fotoenvelhecimento 5

CONCLUSÃO

Os cuidados de prevenção ao fotoenvelhecimento não visam apenas a vaidade, pois evitam os danos causados pelo excesso de radiação e previnem do câncer de pele (AMANO, 2016). Contudo, para alcançar a total proteção, não basta apenas a ingestão dos alimentos que contêm os compostos mencionados anteriormente. Para tal fim, é preciso complementar os cuidados principalmente pelo uso de fotoprotetores e a atenção com o tempo e horários de exposição ao sol. Sendo assim, percebe-se que o importante é proteger a pele de todas as formas possíveis – começando pelo chocolate, de preferência.

 

* Luisa Bittencourt e Juliana Vieira são bolsistas do grupo PET Nutrição UFSC. Esse texto também vai ser publicado na Revista Nutrição InForma – a qual é produzido semestralmente pelo PET Nutrição.

 

REFERÊNCIAS:

1 RODRIGUEZ-AMAYA, Delia B.; KIMURA, Mieko; AMAYA-FARFAN, Jaime. Fontes Brasileiras de Carotenóides: Tabela Brasileira de Composição de Carotenóides em Alimentos. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2008.

2 AMANO, Satoshi. Characterization and mechanisms of photoageing-related changes in skin. Damages of basement membrane and dermal structures.  Experimental Dermatology., v. 25 (Suppl. 3), pp.14–19, Aug. 2016.

3 NICHOLS, Joi A.; KATIYAR, Santosh K. Skin photoprotection by natural  polyphenols: anti-inflammatory, antioxidant and DNA repair mechanisms. Arch Dermatol Res., v. 302, n. 2, pp. 71-83, Mar. 2010.

4 STAHL, Wilhelm; SIES, Helmut. Photoprotection by dietary carotenoids: Concept, mechanisms, evidence and future development. Molecular Nutrition & Food Research, [s.l.], v. 56, n. 2, p.287-295, fev. 2012.

5 STAHL, Wilhelm; SIES, Helmut. B-Carotene and other carotenoids in protection from sunlight. The American Journal Of Clinical Nutrition, USA, pp. 1179-1184, nov. 2012.

6 KRINSKY, N.I. et al. Biologic mechanisms of the protective role of lutein and zeaxanthin in the eye. Annu Rev Nutr , v. 23, pp. 171–201, 2003.

7 STRINGHETA, P. C. et al. Luteína: propriedades antioxidantes e benefícios a saúde. Alim. Nutr., v. 17, n. 2, p. 229-238, 2006.

8 FALLER, Ana Luísa Kremer; FIALHO, Eliane. Disponibilidade de polifenóis em frutas e hortaliças consumidas no Brasil. Rev Saúde Pública, v. 43, n. 2, p. 211-8, 2009.

9 RIZWAN, M. et al. Tomato paste rich in lycopene protects against cutaneous photodamage in humans in vivo: a randomized controlled trial. Br J Dermatol., v. 164, n. 1, pp. 154-62, Jan. 2011.

10 SIES H, STAHL W. Nutritional protection against skin damage from sunlight. Annu Rev Nutr., v. 24, pp. 173–200, 2004

11 HEINRICH, Ulrike et al. Long-Term Ingestion of High Flavanol Cocoa Provides Photoprotection against UV-Induced Erythema and Improves Skin Condition in Women. J. Nutr., v. 136, pp. 1565-1569, 2006.


Um comentário sobre “Alimentos e Fotoproteção: Alimentos que protegem a pele contra a exposição aos raios solares e seus danos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s